HomeNotíciasEstudantes do SMD apresentam projeto no I Congresso Internacional em Humanidades Digitais no Rio de Janeiro

Estudantes do SMD apresentam projeto no I Congresso Internacional em Humanidades Digitais no Rio de Janeiro

 Por Rafael Maia Pinheiro

 

As estudantes Vitória Facundo e Raissa Frota apresentaram, no I Congresso Internacional em Humanidades Digitais, o projeto "Mulheres de todas as cores que têm o brilho da lua: letramento digital para inclusão e desenvolvimento econômico", referente ao trabalho de letramento digital realizado com um grupo de mulheres do bairro Planalto Pici, desenvolvido como parte prática da disciplina de Educomunicação.

 

O evento, na sua primeira edição, aconteceu na Fundação Getúlio Vargas no mês de abril. Conhecido pela sigla HDRio2018, tratou de temas como artes, cultura, ciências sociais, humanas, exatas e computacionais com enfoque em como as tecnologias de informação impactam a vida cotidiana, especialmente, na realidade brasileira, através de palestras, workshops, mesas de debates, apresentações orais e em formato de pôster.

 

O projeto apresentado pelas alunas do SMD teve início no semestre 2017.2 na turma de Educomunicação, disciplina sob a responsabilidade das professoras Andréa Pinheiro e Cátia Silva. Desenvolvido em conjunto com a comunidade do Planalto Pici, localizado nas redondezas do campus da UFC, ele consiste em oficinas práticas de letramento digital por meio de telefones celulares fornecidos às integrantes do grupo denominado "Mulheres do Brilho da Lua" que produzem artigos artesanais. O trabalho, ainda em desenvolvimento, conta com a ajuda não só de alunos da disciplina, mas também com professores e voluntários, e funciona como um projeto de extensão da Universidade.

 

"As Mulheres do Brilho da Lua se ofereceram para participar e junto da turma pensamos no que poderíamos oferecer a elas. Como elas produzem bonecas de pano e gostariam de vendê-las na internet, decidimos pegar essa necessidade e transformar em oficinas", explicam Raissa e Vitória. Os encontros com o grupo acontecem não só no bloco didático do SMD, mas também na sede do grupo no Planalto Pici.

 

O trabalho desenvolvido foi apresentado no dia 11 de abril para um público que incluía desde graduandos a pós-doutorandos, além de dois professores que eram coordenadores do seu eixo temático, "Tecnologia, Cultura, Política e Sociedade". "As pessoas elogiaram bastante o trabalho, disseram ver muita magia no que foi feito e comentaram também nossa empolgação, objetividade e clareza ao falar. Ficaram surpresos por ser nossa primeira apresentação em Congresso", relatam as estudantes.

 

A participação no evento, no entanto, agregou não só à formação acadêmica, mas, segundo elas, começou logo com a nova experiência de arrecadação do dinheiro para custear a viagem, que aconteceu através de muitas ações entre colegas e professores. Conhecer a cidade do Rio, alguns de seus pontos turísticos e culturais, além de muitas pessoas de vários lugares do Brasil e muitos temas novos, foram experiências e aprendizados que possibilitaram contatos para novos trabalhos, inspiração para novos projetos e melhorias no projeto.

 

"O que ficou muito forte em nós depois de tudo isso foi a gratidão pela quantidade de pessoas que nos ajudaram, [...] o encantamento com tanta coisa que ainda há para conhecer e o potencial que pode ser levado para o SMD", concluem as alunas, que ainda terão seu trabalho completo publicado nos Anais do Congresso.

 

Para saber mais sobre o projeto apresentado no HDRio2018, existe um perfil no Instagram (https://www.instagram.com/p/Be3u8qyll5b/?taken-by=picinohdrio). A próxima edição do evento deverá acontecer em 2020.