HomeNotícias

Resultado da seleção de professor substituto - Animação e Design Digital

 

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ

EDITAL Nº 123/2018 SELEÇÃO PARA PROFESSOR SUBSTITUTO

CAMPUS DA UFC EM FORTALEZA

INSTITUTO UNIVERSIDADE VIRTUAL

 

 

Setor de Estudo: Animação e Design Digital

Notas da prova escrita realizada em 25 de junho de 2018

 

 

Nº do Candidato Nota do Avaliador 01 Nota do Avaliador 02 Nota do Avaliador 03 Média
1 7,2 7,2 6,7 7,0
2 7,0 7,0 7,0 7,0
3 4,3 4,5 4,5 4,4
4 3,5 3,7 3,7 3,6
5 4,0 4,0 4,2 4,1
6 7,0 7,0 7,0 7,0
7 7,0 7,0 7,0 7,0
8 6,0 5,8 5,8 5,9
9 3,3 3,2 3,5 3,3
10 4,8 4,7 4,8 4,8
11 7,8 7,8 7,7 7,8
12 4,5 3,7 4,0 4,1

 


Desta forma, os candidatos Adannick Fontes Nascimento, Diego José Lima Silva, Isa Sinara Farias Bessa, Paulo Sergio Batista de Almeida Filho e Guilherme Pedrosa Carvalho de Araújo foram aprovados na 1ª fase da seleção.

 

Os candidatos aprovados devem estar presente no dia 27/06/2018 (quarta feira) às 08:30 h na Secretaria do Curso de Sistemas e Mídias Digitais para sorteio dos pontos de estudo da prova didática.

 

Anima Mundi seleciona filmes de curta metragem de alunos do SMD

 

 

O Festival Internacional de Animação do Brasil - Anima Mundi - selecionou os curtas-metragens "A Caixinha" e "O Catador de Sonhos", produzidos por estudantes do SMD, para sua edição 2018. O Anima Mundi é o maior festival de animações da América Latina e o segundo maior do mundo.


Os curtas foram produzidos em parceria com o Núcleo Cearense de Animação (NUCA) da Casa Amarela Eusélio de Oliveira, equipamento da UFC, como parte das atividades da disciplina Produção Audiovisual para Crianças e Adolescentes, ministrada pela professora Andrea Pinheiro, e serão exibidos na mostra Futuro Animador.


As produções abordam temas relacionados aos direitos das crianças, como o direito de brincar e a prioridade das crianças na definição do uso do orçamento público. A animação "A Caixinha" foi produzida pelos alunos Alexandre Germano, Ana Luiza Osterne, George Torres, Iago Fillipi e Nathan Chaussê; "O Catador de Sonhos" foi produzido por Amanda Girão, Daniel Viana, Gabriel de Paula, João Everton e Niedja Lorena.


Os trabalhos foram realizados no período 2017.1, na cadeira de Produção Audiovisual para Crianças e Adolecentes, que conta com estudos teóricos sobre autores que retratam a infância e a relação dela com a mídia, com análises de produções audiovisuais, bem como estudos práticos de técnicas de animação básica. A disciplina contou com o apoio do NUCA, que disponibilizou o local e os materiais necessários para o desenvolvimento das produções.


A animação "A Caixinha" foi produzida com técnicas stop-motion e ilustrações 2D. "O curta mostra uma criança que está mergulhada numa rotina de estudos bem rígida, que a impede de se divertir. Estudar é importante, claro, mas decidimos mostrar que brincar também é muito importante e é um direito da criança, até porque essas atividades fazem parte do desenvolvimento da pessoa. Além disso, é uma etapa tão rápida da vida, né? Esse momento tem que ser aproveitado", explica Iago Fillipi, que fez parte da equipe de produção do curta.


Já o curta "O Catador de Sonhos" foi produzido com técnicas de stop-motion e edição gráfica. "A principal mensagem é que as crianças e adolescentes devem ter prioridade absoluta nos gastos públicos, para que assim se cumpram os artigos que dão direito a educação e lazer para os mesmos, criando, assim, um ambiente que potencialize o desenvolvimento das aptidões de cada indivíduo", destaca Gabriel de Paula, que participou da produção da animação.


Os alunos enfatizaram a importância do conteúdo abordado em sala de aula sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dos elementos de análise de roteiro como fundamentais para o desenvolvimento das animações, além das análises de materiais audiovisuais já existentes sobre os temas e do auxílio do NUCA com a parte técnica. A disciplina também contou com uma entrevista com Gabriela Romeu e uma palestra de Mariana Medina, ambas produtoras de conteúdos audiovisuais relacionados à infância.


Como foi o NUCA que fez a submissão dos trabalhos ao Anima Mundi, a seleção dos projetos foi uma notícia inesperada para os alunos envolvidos. "Para mim foi uma grande surpresa e super bem-vinda, e isso aconteceu um ano depois da produção. [...] Percebi o quão difícil é fazer uma animação e sou muito grato por experienciar isso. […] Achei todo o processo recompensador", relata Iago Fillipi. "Foi interessante ver as produções dos colegas, pois cada um seguiu uma abordagem teórica e técnica diferente", completa.
Os alunos ficaram satisfeitos com a seleção dos filmes. "Mostrou que nosso esforço pode ser reconhecido, que mesmo os trabalhos de uma disciplina devem ser feitos com carinho e dedicação para gerar resultados surpreendentes, principalmente para nós, da equipe, que nem esperávamos ganhar tanta visibilidade. É muito bom ter seu trabalho reconhecido, e isso dá mais vontade para continuar estudando, trabalhando e produzindo na área", afirma Gabriel de Paula.


A 26ª edição do festival Anima Mundi acontecerá no período de 21 a 29 de julho no Rio de Janeiro e do dia 1º ao dia 5 de agosto em São Paulo. Os curtas selecionados dos alunos do SMD podem ser acessados nos links a seguir:
A Caixinha: https://youtu.be/027GVfgdMEc
O Catador de sonhos: https://youtu.be/C65eXyiDyK0

 

 

Estudantes do SMD apresentam projeto no I Congresso Internacional em Humanidades Digitais no Rio de Janeiro

 Por Rafael Maia Pinheiro

 

As estudantes Vitória Facundo e Raissa Frota apresentaram, no I Congresso Internacional em Humanidades Digitais, o projeto "Mulheres de todas as cores que têm o brilho da lua: letramento digital para inclusão e desenvolvimento econômico", referente ao trabalho de letramento digital realizado com um grupo de mulheres do bairro Planalto Pici, desenvolvido como parte prática da disciplina de Educomunicação.

 

O evento, na sua primeira edição, aconteceu na Fundação Getúlio Vargas no mês de abril. Conhecido pela sigla HDRio2018, tratou de temas como artes, cultura, ciências sociais, humanas, exatas e computacionais com enfoque em como as tecnologias de informação impactam a vida cotidiana, especialmente, na realidade brasileira, através de palestras, workshops, mesas de debates, apresentações orais e em formato de pôster.

 

O projeto apresentado pelas alunas do SMD teve início no semestre 2017.2 na turma de Educomunicação, disciplina sob a responsabilidade das professoras Andréa Pinheiro e Cátia Silva. Desenvolvido em conjunto com a comunidade do Planalto Pici, localizado nas redondezas do campus da UFC, ele consiste em oficinas práticas de letramento digital por meio de telefones celulares fornecidos às integrantes do grupo denominado "Mulheres do Brilho da Lua" que produzem artigos artesanais. O trabalho, ainda em desenvolvimento, conta com a ajuda não só de alunos da disciplina, mas também com professores e voluntários, e funciona como um projeto de extensão da Universidade.

 

"As Mulheres do Brilho da Lua se ofereceram para participar e junto da turma pensamos no que poderíamos oferecer a elas. Como elas produzem bonecas de pano e gostariam de vendê-las na internet, decidimos pegar essa necessidade e transformar em oficinas", explicam Raissa e Vitória. Os encontros com o grupo acontecem não só no bloco didático do SMD, mas também na sede do grupo no Planalto Pici.

 

O trabalho desenvolvido foi apresentado no dia 11 de abril para um público que incluía desde graduandos a pós-doutorandos, além de dois professores que eram coordenadores do seu eixo temático, "Tecnologia, Cultura, Política e Sociedade". "As pessoas elogiaram bastante o trabalho, disseram ver muita magia no que foi feito e comentaram também nossa empolgação, objetividade e clareza ao falar. Ficaram surpresos por ser nossa primeira apresentação em Congresso", relatam as estudantes.

 

A participação no evento, no entanto, agregou não só à formação acadêmica, mas, segundo elas, começou logo com a nova experiência de arrecadação do dinheiro para custear a viagem, que aconteceu através de muitas ações entre colegas e professores. Conhecer a cidade do Rio, alguns de seus pontos turísticos e culturais, além de muitas pessoas de vários lugares do Brasil e muitos temas novos, foram experiências e aprendizados que possibilitaram contatos para novos trabalhos, inspiração para novos projetos e melhorias no projeto.

 

"O que ficou muito forte em nós depois de tudo isso foi a gratidão pela quantidade de pessoas que nos ajudaram, [...] o encantamento com tanta coisa que ainda há para conhecer e o potencial que pode ser levado para o SMD", concluem as alunas, que ainda terão seu trabalho completo publicado nos Anais do Congresso.

 

Para saber mais sobre o projeto apresentado no HDRio2018, existe um perfil no Instagram (https://www.instagram.com/p/Be3u8qyll5b/?taken-by=picinohdrio). A próxima edição do evento deverá acontecer em 2020.

 

Coordenação Informa - Consulta pública para Coordenador e Vice do curso de Sistemas e Mídias Digitais - Diurno

 

Será realizada, a partir de amanhã, consulta pública para que estudantes do SMD-Diurno, servidores da Coordenação de Curso e professores do SMD possam votar na chapa de professores candidatos à nova coordenação do curso Diurno.

 

A votação será feita em cédulas específicas e ocorrerá nos dias 17 e 18 de Maio de 2018, das 10h às 20h, na secretaria do curso de Sistemas e Mídias Digitais, localizada no bloco didático do Curso.


Houve a inscrição de apenas uma chapa (Chapa 1), formada pela professora Georgia da Cruz Pereira (coordenadora) e pelo professor Glaudiney Moreira Mendonça Junior (vice-coordenador).

 

Segundo as normas da UFC, essa votação tem caráter consultivo e seu resultado será levado ao Colegiado do Curso. Após a apresentação do resultado da consulta pública, e eleição será definida por meio de escrutínio secreto, pelos integrantes do Colegiado de Coordenação de Curso entre os seus pares representantes de unidades curriculares nucleares à formação profissional discente.

 

Participem!

 

Media Day leva oficinas e atividades diversas a cidades do interior do estado

 

 

Por Por Rafael Maia Pinheiro


O "Media Day" é um projeto de extensão itinerante coordenado pela professora Georgia Cruz que consiste em proporcionar a seus participantes um dia inteiro de oficinas, palestras, jogos e atividades que envolvem tecnologias e mídias digitais, oferecendo ao público de fora da universidade uma visão sobre o curso de Sistemas e Mídias Digitais.

O evento acontece em Fortaleza, além de outros municípios do estado do Ceará. Sobral, Nova Russas, Crateús, Beberibe e Aquiraz são algumas das cidades que já receberam o projeto. Seus organizadores têm atuado em parceria com escolas de ensino médio e profissionalizantes locais, oferecendo diversas oficinas e atividades lúdico-pedagógicas, que são direcionadas não só a estudantes do ensino médio, mas a quaisquer pessoas que estiverem interessadas.


O Media Day surgiu como um meio de divulgação do SMD entre estudantes de escolas públicas, especialmente no interior do estado, para apresentar possibilidades de carreiras aos jovens e estimular o interesse pela universidade. Porém, apesar do seu objetivo prioritário, o evento também tem atraído outros perfis de participantes, uma vez que suas oficinas possuem um viés formativo que proporciona um contato direto e prático com as áreas de estudo do curso.


O projeto conta com a participação de bolsistas de extensão, da PRAE e voluntários, além de por vezes contar com a colaboração de outros professores do SMD e de outros cursos da UFC. De fato, a maioria dos colaboradores do projeto é de caráter voluntário. Anualmente é aberto o formulário de cadastro de voluntários para ofertar oficinas, o que tem tido boas respostas.


O Media Day tem contribuído com a aprendizagem dos alunos do SMD principalmente através da formação cooperativa e colaborativa de aprendizagem. "Os alunos voluntários se preocupam em estudar dedicadamente assuntos que são do seu interesse e sobre os quais se sentem seguros em compartilhar com os participantes das oficinas. Há ainda a formação social, uma vez que os estudantes veem nas ações do projeto uma forma de colaborar para que mais jovens aprendam sobre os conteúdos ministrados no SMD", conta a professora Georgia.


O projeto conta com uma página no Facebook em que todas as informações são divulgadas regularmente. Através dela, é possível enviar mensagens e obter mais informações sobre como colaborar. A atuação do evento varia de acordo com o interesse e os recursos dos municípios para subsidiarem a ida da equipe até o local.


Para o ano de 2018, a equipe do projeto está elaborando um website que servirá de repositório de materiais de oficinas e de formação na área de tecnologias aplicadas e comunicação em novas tecnologias, que têm sido majoritariamente as áreas das oficinas oferecidas.


"O trabalho do Media Day é muito gratificante e desafiador. Gostaria de deixar registrado meu enorme agradecimento à equipe que trabalha no projeto, em especial as bolsistas Raissa Frota (extensão) e Vitória Facundo (voluntária) que tanto têm se dedicado. O projeto só existe e tem produzido frutos graças à força do trabalho em equipe e pelo sentimento de que juntos e compartilhando nossos conhecimentos podemos ir mais longe", conclui Georgia.


Graduada em Comunicação Social, com mestrado em Comunicação Social na área de Fotografia e Audiovisual e doutorado em Comunicação na linha de pesquisa Mídia e Estética, a professora Georgia Cruz é especialista em Meios Audiovisuais Eletrônicos e leciona atualmente as disciplinas de Semiótica Aplicada e História do Design no curso de bacharelado em Sistemas e Mídias Digitais. Também é presidente do NDE (Núcleo Docente Estruturante) do SMD – Diurno, mentora da trilha de Audiovisual e coordenadora da monitoria de Audiovisual.

 

 

Pagina 1 de 7