HomeNotícias

Após temporada de estudos, professores do SMD retornam ao curso com novas perspectivas

 

Por Rafael Maia Pinheiro

 

Neste ano de 2018, os professores Alysson Diniz, Natal Chicca e Rafael Carmo retornaram ao curso após anos fora cursando doutorado. Seu retorno à universidade traz novas perspectivas ao curso devido à renovação da bagagem de conhecimentos dos professores no que se refere à formação teórica mas também às práticas de pesquisa e de ensino. Além disso, esse o aumento do número de docentes em determinadas áreas do curso certamente tem muito a agregar às disciplinas e projetos na graduação.

 

O prof. Alysson, que atua na área de programação, mais especificamente em jogos digitais, ingressou no SMD em 2011 e esteve no exterior de 2014 a 2017, realizando curso de doutorado no Politecnico di Torino (Turim, Itália) em Engenharia da Computação. Sua tese discute design e aplicação de jogos digitais no ensino de conceitos de sustentabilidade. “Acho que a internacionalizaçao é um passo fundamental para a produção de pesquisa de alto nível, ainda que para tal não seja necessário um doutorado completo fora, já que se pode também participar de eventos internacionais, fazer pós-doutorado fora ou passar períodos no exterior durante o doutorado). Mas um tempo mais longo permite o estabelecimento de contatos que podem ser benéficos para o próprio curso futuramente”, opina o professor Alysson. Ele ainda acrescenta que a forma como são encarados o ensino e a pesquisa no exterior auxiliam na certificação das práticas realizadas aqui e na sugestão de novas.

 

O prof. Natal, por sua vez, ingressou no SMD em 2010 e esteve na Universidade Federal de Pernambuco cursando doutorado em Design de 2013 a 2017. Com interesse e atuação nas áreas de desenho, ilustração, animação 2D, concepção de cenários e personagens e impressão 3D, nesse período focou seus estudos em como a impressão 3D pode auxiliar no processo ensino-aprendizagem em projetos de design. Para ele, o processo de renovação foi bastante positivo: “o processo de afastamento permite ao professor aprender não apenas os conteúdos focados nos estudos relacionados ao desenvolvimento do trabalho acadêmico , mas também permite conhecer diferentes realidades da nossa, ao conviver em um diferente local, com diferentes pessoas e em uma estrutura acadêmica à qual não estamos familiarizados. Dessa forma, não apenas podemos renovar as visões relacionadas às estruturas e processos de ensino, como também ter um novo olhar ao confrontar o curso de Sistemas e Mídias Digitais depois de tanto tempo afastados”. Na sua opinião, há uma certa dificuldade no retorno às atividades docentes no curso, por conta das mudanças ocorridas e da necessidade de conciliação entre as atividades como docente e a continuidade dos seus estudos na área, pois, a seu ver, é de grande importância compartilhar os novos conhecimentos adquiridos com os alunos.

 

O prof. Rafael ingressou no SMD em 2011 e esteve na University College London (Londres, Reino Unido) de 2013 a 2017, no Departamento de Estatística, trabalhando com séries temporais. Seu doutorado foi na área de Ciência Estatística, com atuação em computação, especificamente em aprendizagem de máquinas e suas aplicações. Trata-se de um campo de estudo que agrega conceitos de estatística e computação, uma vez que se trata de um esforço em fazer com que a inteligência computacional “aprenda” um conceito através de repetições. Além disso, ele possui interesse na área de inteligência artificial para jogos. “Aqui no Instituto me interesso em fazer com que a aprendizagem de máquinas sirva como elemento para automatizar algumas tarefas em educação a distância (EaD)”, afirma o prof. Rafael, que também deseja aplicar seus conhecimentos com motores de inteligência artificial em jogos. “É uma área um pouco diferente da aprendizagem de máquinas, mas que tem muitos conceitos parecidos”, complementa. “O que eu trago de aprendizado e de experiência de Londres é que a massificação não é algo ruim. As aulas de graduação lá são para um número muito grande de pessoas e conseguem formar profissionais de qualidade. É preciso massificar porque queremos que um percentual maior da população chegue ao ensino superior, porém precisamos utilizar ferramentas para massificar”, opina o professor. “O que achei maravilhoso lá é que toda aula de graduação já tinha parte do seu conteúdo dado em EaD, parte ensinada por alunos de mestrado, parte ensinada por alunos de doutorado etc. Então mesmo tendo muita gente fazendo a mesma disciplina, eles conseguiam dar um suporte muito grande ao aluno. Então o que trago é essa ideia de massificação. Precisamos ter mais pessoas aprendendo, mas temos também que preparar a estrutura. Por isso trago justamente essa vontade de criar uma estrutura muito forte. Por exemplo, lá havia muitas pessoas indo à universidade sábado e domingo, pois havia uma estrutura tão boa que elas se motivavam internamente a ir trabalhar, estudar, alcançar seus objetivos dentro da academia”, acrescenta. Na sua concepção, o aumento do nível do curso passa diretamente pela organização, pela estrutura e pelo ordenamento bem definido na utilização dos recursos disponíveis.

 

O prof. Alysson Diniz é graduado em Ciência da Computação, com Mestrado em Informática e atualmente está terminando seu doutorado; entre as disciplinas que ministra estão Programação I e II, Projeto Integrado II e Inteligência Artificial para Jogos.

 

O prof. Natal Chicca é graduado em Design Gráfico, com Mestrado em Arquitetura e Urbanismo e Doutorado em Design; entre as disciplinas que ministra estão Desenho I, Projeto Integrado I e Design de Jogos.

 

O prof. Rafael Carmo é graduado em Ciência da Computação, com Mestrado também em Ciência da Computação e atualmente está terminando seu doutorado; entre as disciplinas

 

Resultado da seleção de professor substituto - Animação e Design Digital

 

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ

EDITAL Nº 123/2018 SELEÇÃO PARA PROFESSOR SUBSTITUTO

CAMPUS DA UFC EM FORTALEZA

INSTITUTO UNIVERSIDADE VIRTUAL

 

 

Setor de Estudo: Animação e Design Digital

Notas da prova escrita realizada em 25 de junho de 2018

 

 

Nº do Candidato Nota do Avaliador 01 Nota do Avaliador 02 Nota do Avaliador 03 Média
1 7,2 7,2 6,7 7,0
2 7,0 7,0 7,0 7,0
3 4,3 4,5 4,5 4,4
4 3,5 3,7 3,7 3,6
5 4,0 4,0 4,2 4,1
6 7,0 7,0 7,0 7,0
7 7,0 7,0 7,0 7,0
8 6,0 5,8 5,8 5,9
9 3,3 3,2 3,5 3,3
10 4,8 4,7 4,8 4,8
11 7,8 7,8 7,7 7,8
12 4,5 3,7 4,0 4,1

 


Desta forma, os candidatos Adannick Fontes Nascimento, Diego José Lima Silva, Isa Sinara Farias Bessa, Paulo Sergio Batista de Almeida Filho e Guilherme Pedrosa Carvalho de Araújo foram aprovados na 1ª fase da seleção.

 

Os candidatos aprovados devem estar presente no dia 27/06/2018 (quarta feira) às 08:30 h na Secretaria do Curso de Sistemas e Mídias Digitais para sorteio dos pontos de estudo da prova didática.

 

Anima Mundi seleciona filmes de curta metragem de alunos do SMD

 

 

O Festival Internacional de Animação do Brasil - Anima Mundi - selecionou os curtas-metragens "A Caixinha" e "O Catador de Sonhos", produzidos por estudantes do SMD, para sua edição 2018. O Anima Mundi é o maior festival de animações da América Latina e o segundo maior do mundo.


Os curtas foram produzidos em parceria com o Núcleo Cearense de Animação (NUCA) da Casa Amarela Eusélio de Oliveira, equipamento da UFC, como parte das atividades da disciplina Produção Audiovisual para Crianças e Adolescentes, ministrada pela professora Andrea Pinheiro, e serão exibidos na mostra Futuro Animador.


As produções abordam temas relacionados aos direitos das crianças, como o direito de brincar e a prioridade das crianças na definição do uso do orçamento público. A animação "A Caixinha" foi produzida pelos alunos Alexandre Germano, Ana Luiza Osterne, George Torres, Iago Fillipi e Nathan Chaussê; "O Catador de Sonhos" foi produzido por Amanda Girão, Daniel Viana, Gabriel de Paula, João Everton e Niedja Lorena.


Os trabalhos foram realizados no período 2017.1, na cadeira de Produção Audiovisual para Crianças e Adolecentes, que conta com estudos teóricos sobre autores que retratam a infância e a relação dela com a mídia, com análises de produções audiovisuais, bem como estudos práticos de técnicas de animação básica. A disciplina contou com o apoio do NUCA, que disponibilizou o local e os materiais necessários para o desenvolvimento das produções.


A animação "A Caixinha" foi produzida com técnicas stop-motion e ilustrações 2D. "O curta mostra uma criança que está mergulhada numa rotina de estudos bem rígida, que a impede de se divertir. Estudar é importante, claro, mas decidimos mostrar que brincar também é muito importante e é um direito da criança, até porque essas atividades fazem parte do desenvolvimento da pessoa. Além disso, é uma etapa tão rápida da vida, né? Esse momento tem que ser aproveitado", explica Iago Fillipi, que fez parte da equipe de produção do curta.


Já o curta "O Catador de Sonhos" foi produzido com técnicas de stop-motion e edição gráfica. "A principal mensagem é que as crianças e adolescentes devem ter prioridade absoluta nos gastos públicos, para que assim se cumpram os artigos que dão direito a educação e lazer para os mesmos, criando, assim, um ambiente que potencialize o desenvolvimento das aptidões de cada indivíduo", destaca Gabriel de Paula, que participou da produção da animação.


Os alunos enfatizaram a importância do conteúdo abordado em sala de aula sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dos elementos de análise de roteiro como fundamentais para o desenvolvimento das animações, além das análises de materiais audiovisuais já existentes sobre os temas e do auxílio do NUCA com a parte técnica. A disciplina também contou com uma entrevista com Gabriela Romeu e uma palestra de Mariana Medina, ambas produtoras de conteúdos audiovisuais relacionados à infância.


Como foi o NUCA que fez a submissão dos trabalhos ao Anima Mundi, a seleção dos projetos foi uma notícia inesperada para os alunos envolvidos. "Para mim foi uma grande surpresa e super bem-vinda, e isso aconteceu um ano depois da produção. [...] Percebi o quão difícil é fazer uma animação e sou muito grato por experienciar isso. […] Achei todo o processo recompensador", relata Iago Fillipi. "Foi interessante ver as produções dos colegas, pois cada um seguiu uma abordagem teórica e técnica diferente", completa.
Os alunos ficaram satisfeitos com a seleção dos filmes. "Mostrou que nosso esforço pode ser reconhecido, que mesmo os trabalhos de uma disciplina devem ser feitos com carinho e dedicação para gerar resultados surpreendentes, principalmente para nós, da equipe, que nem esperávamos ganhar tanta visibilidade. É muito bom ter seu trabalho reconhecido, e isso dá mais vontade para continuar estudando, trabalhando e produzindo na área", afirma Gabriel de Paula.


A 26ª edição do festival Anima Mundi acontecerá no período de 21 a 29 de julho no Rio de Janeiro e do dia 1º ao dia 5 de agosto em São Paulo. Os curtas selecionados dos alunos do SMD podem ser acessados nos links a seguir:
A Caixinha: https://youtu.be/027GVfgdMEc
O Catador de sonhos: https://youtu.be/C65eXyiDyK0

 

 

Estudantes do SMD apresentam projeto no I Congresso Internacional em Humanidades Digitais no Rio de Janeiro

 Por Rafael Maia Pinheiro

 

As estudantes Vitória Facundo e Raissa Frota apresentaram, no I Congresso Internacional em Humanidades Digitais, o projeto "Mulheres de todas as cores que têm o brilho da lua: letramento digital para inclusão e desenvolvimento econômico", referente ao trabalho de letramento digital realizado com um grupo de mulheres do bairro Planalto Pici, desenvolvido como parte prática da disciplina de Educomunicação.

 

O evento, na sua primeira edição, aconteceu na Fundação Getúlio Vargas no mês de abril. Conhecido pela sigla HDRio2018, tratou de temas como artes, cultura, ciências sociais, humanas, exatas e computacionais com enfoque em como as tecnologias de informação impactam a vida cotidiana, especialmente, na realidade brasileira, através de palestras, workshops, mesas de debates, apresentações orais e em formato de pôster.

 

O projeto apresentado pelas alunas do SMD teve início no semestre 2017.2 na turma de Educomunicação, disciplina sob a responsabilidade das professoras Andréa Pinheiro e Cátia Silva. Desenvolvido em conjunto com a comunidade do Planalto Pici, localizado nas redondezas do campus da UFC, ele consiste em oficinas práticas de letramento digital por meio de telefones celulares fornecidos às integrantes do grupo denominado "Mulheres do Brilho da Lua" que produzem artigos artesanais. O trabalho, ainda em desenvolvimento, conta com a ajuda não só de alunos da disciplina, mas também com professores e voluntários, e funciona como um projeto de extensão da Universidade.

 

"As Mulheres do Brilho da Lua se ofereceram para participar e junto da turma pensamos no que poderíamos oferecer a elas. Como elas produzem bonecas de pano e gostariam de vendê-las na internet, decidimos pegar essa necessidade e transformar em oficinas", explicam Raissa e Vitória. Os encontros com o grupo acontecem não só no bloco didático do SMD, mas também na sede do grupo no Planalto Pici.

 

O trabalho desenvolvido foi apresentado no dia 11 de abril para um público que incluía desde graduandos a pós-doutorandos, além de dois professores que eram coordenadores do seu eixo temático, "Tecnologia, Cultura, Política e Sociedade". "As pessoas elogiaram bastante o trabalho, disseram ver muita magia no que foi feito e comentaram também nossa empolgação, objetividade e clareza ao falar. Ficaram surpresos por ser nossa primeira apresentação em Congresso", relatam as estudantes.

 

A participação no evento, no entanto, agregou não só à formação acadêmica, mas, segundo elas, começou logo com a nova experiência de arrecadação do dinheiro para custear a viagem, que aconteceu através de muitas ações entre colegas e professores. Conhecer a cidade do Rio, alguns de seus pontos turísticos e culturais, além de muitas pessoas de vários lugares do Brasil e muitos temas novos, foram experiências e aprendizados que possibilitaram contatos para novos trabalhos, inspiração para novos projetos e melhorias no projeto.

 

"O que ficou muito forte em nós depois de tudo isso foi a gratidão pela quantidade de pessoas que nos ajudaram, [...] o encantamento com tanta coisa que ainda há para conhecer e o potencial que pode ser levado para o SMD", concluem as alunas, que ainda terão seu trabalho completo publicado nos Anais do Congresso.

 

Para saber mais sobre o projeto apresentado no HDRio2018, existe um perfil no Instagram (https://www.instagram.com/p/Be3u8qyll5b/?taken-by=picinohdrio). A próxima edição do evento deverá acontecer em 2020.

 

Coordenação Informa - Consulta pública para Coordenador e Vice do curso de Sistemas e Mídias Digitais - Diurno

 

Será realizada, a partir de amanhã, consulta pública para que estudantes do SMD-Diurno, servidores da Coordenação de Curso e professores do SMD possam votar na chapa de professores candidatos à nova coordenação do curso Diurno.

 

A votação será feita em cédulas específicas e ocorrerá nos dias 17 e 18 de Maio de 2018, das 10h às 20h, na secretaria do curso de Sistemas e Mídias Digitais, localizada no bloco didático do Curso.


Houve a inscrição de apenas uma chapa (Chapa 1), formada pela professora Georgia da Cruz Pereira (coordenadora) e pelo professor Glaudiney Moreira Mendonça Junior (vice-coordenador).

 

Segundo as normas da UFC, essa votação tem caráter consultivo e seu resultado será levado ao Colegiado do Curso. Após a apresentação do resultado da consulta pública, e eleição será definida por meio de escrutínio secreto, pelos integrantes do Colegiado de Coordenação de Curso entre os seus pares representantes de unidades curriculares nucleares à formação profissional discente.

 

Participem!

 

Pagina 1 de 8